5 de abr de 2009

O maior vendedor do mundo

(claro que só podia ser um judeu!!)

- Meu nome ser Moisés Rabinovitz e eu vende fitas. Eu está conhecido como a melhor vendedor de fitas da mundo todo. Eu vendeu fitas para todos os lojas neste país. O única exceçón, o única falha, é que nunca vendeu nada para a Mappin. Eu vai se aposenta na mês que vem, e gostaria de ter uma história de vendedor perfeito. Eu gostava que a senhor me comprasse algum de meus fitas.

Nó precisa compra muita coisa. Pode ser um pedaço pequeno de fita do tamanho que senhor quiser. Eu só quer pode dizer que conseguiu vende os fitas em todos os lojas do Brasil!

O comprador, com um ar de gozador, responde:

- Bem, se for esse seu desejo… Pode me vender um pedaço de fita de tamanho igual � distância entre a ponta do seu nariz e a ponta de seu pinto… ah, ah, ah!

Por um momento Rabinovitz se sente ofendido com as palavras do comprador, mas rapidamente se recupera e diz:

- Sim senhor. E de que cor? De que modelo?

- Sr Rabinovitz, - responde o comprador - eu não me importo com a cor e o modelo. Só quero um pedaço de fita do que vai da ponta do seu nariz � ponta do seu pinto.

Rabinovitz, com toda a cerimônia, tira o talão de pedidos e, emocionado, preenche o campo de “cliente”: Mappin! Depois formaliza o pedido, que o comprador assina.

Quatro dias depois, telefonam do depósito para o comprador:

- Que história é essa de dezenas de caminhões aqui entregando fitas?

O depósito está cheio e ainda continuam chegando. Estão dizendo que foi você que comprou… O comprador liga para Rabinovitz e explode:
- Rabinovitz, ficou maluco, seu velho tratante? Porque está me mandando todas estas fitas?

- Desculpa, senhor, mas eu está com seu pedido aqui no meu mesa. Mappin pediu “Uma fita de qualquer tamanho e modelo, de comprimento igual � distância entre o ponta de nariz e o ponta da pênis do sr.Rabinovitz”.

- Então, é só isso que eu queria…

- Acontece que o ponta da meu nariz está aqui, mas o ponta da meu pinto estar no Polônia, desde o meu circuncisón…

E foi assim que o Mappin faliu!

Nenhum comentário: